terça-feira, 13 abril 2021
Fale Conosco | (24)3343-5229

Educação

Deputado estuda projeto para manter Colégio Militar em Volta Redonda

04/03/2021 10:49:51

O deputado estadual Marcelo Cabeleireiro (DC) está estudando a formatação de um projeto para, na prática, legalizar o Colégio Militar de Volta Redonda. A informação foi dada pelo parlamentar ao FOCO REGIONAL, na manhã desta quinta-feira (4). Ele explicou que a finalidade é buscar uma forma de deixar o colégio verdadeiramente constituído, acabando com a dependência, por exemplo, de todos os anos a instituição ficar na dependência da publicação de um decreto cedendo professores.

Este ano, os 60 alunos aprovados no processo seletivo 2021 ainda não iniciaram as aulas porque, até agora, o decreto de cessão dos professores não fui publicado. O colégio precisa de seis profissionais para dar início às aulas. “A ideia é fazer um projeto de lei para que o colégio seja realmente constituído. Hoje isso não existe”, disse Marcelo.

Instituído no início da gestão de Wilson Witzel à frente do governo do estado, o projeto dos colégios militares foi feito a partir de convênios firmado com o Corpo de Bombeiros, a quem cabe a administração, e as prefeituras (de Volta Redonda e Paracambi), responsáveis pela merenda dos alunos. Apesar disso, lembra o deputado, mesmo após dois anos da inauguração dos colégios, que em Volta Redonda funciona no Ciep do bairro Açude I, o convênio com a prefeitura não foi homologado, embora no governo de Samuca Silva a merenda tenha sido fornecida. “E deve continuar sendo na gestão do [Antonio Francisco] Neto, que tem todo o interesse na continuidade do colégio”, salientou o deputado estadual.

Logo após o risco de fechamento do colégio vir a público, através do FOCO REGIONAL, Marcelo Cabeleireiro passou a atuar junto ao governo do estado e a Secretaria estadual de Educação para a continuidade do projeto. O secretário Comte Bitencourt, lembrou ele, já afirmou que o colégio não será fechado. No entanto, até agora, não houve a cessão dos professores necessários para os alunos selecionados para o primeiro ano em 2021.

Entre pais de alunos e professores há convicção de que o projeto foi abandonado pelo governador em exercício, Claudio Castro, após o afastamento de Witzel do cargo. Tanto que outras unidades previstas para o estado, como em Barra Mansa – onde a ideia era instalar a escola na Região Leste ou na Colônia Santo Antônio – não foram implantadas. “É um projeto brilhante, não pode ser interrompido”, afirmou o deputado, depois de lembrar que, em Volta Redonda, cerca de 800 estudantes participaram do processo seletivo.

MATRÍCULAS – Segundo o FOCO REGIONAL apurou, na noite da quarta-feira (3) o Corpo de Bombeiros aceitou matricular os alunos aprovados no processo seletivo. O prazo vai até a próxima terça-feira (9).

Esta semana, a Secretaria estadual de Educação informou ao promotor Leonardo Kataoka, da 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Volta Redonda, que vai providenciar os professores, porém, não fixou prazo. O plano da secretaria prevê a contratação dos seis profissionais necessários, embora esta solução não seja vista como a ideal pelo corpo docente do colégio, tanto pela demora dos trâmites quanto pelo fato de eles não serem efetivos.

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

19:08 Saúde