quinta-feira, 17 junho 2021
Fale Conosco | (24)3343-5229

Política

Hudson Braga, em nota, desmente Sérgio Cabral

13/05/2021 18:51:06

O ex-secretário estadual de Obras, Hudson Braga, em nota divulgada nesta quinta-feira (13), por intermédio de seu advogado, Roberto Pagliuso, classificou de “mentirosas” as denúncias do ex-governador Sérgio Cabral sobre supostos repasses ilegais a Dias Toffoli para a venda de decisões judiciais, em 2015, quando o ministro presidia o TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Cabral afirmou, em delação premiada à Polícia Federal, que Braga teria sido o operador do pagamento de R$ 4 milhões a Toffoli para decisões favoráveis ao prefeito de Volta Redonda, Antônio Francisco Neto, e à então prefeita de Bom Jesus de Itabapoana.

As informações da delação sigilosa ser tornaram públicas na última terça-feira (11), quando a Polícia Federal pediu a abertura de uma investigação contra o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal).  “Esclarecemos que jamais chegou sequer ao conhecimento de Hudson Braga o fornecimento de qualquer vantagem para o ministro Dias Toffoli ou a outra pessoa que o representasse”, diz a nota assinada por Roberto Pagliuso.

“Sérgio Cabral tenta se safar de suas responsabilidades, alterando suas estratégias. Ora negou os fatos, ora adotou manobras processuais e depois de ver a consolidação de suas penas, resolveu, por desespero, criar fatos para viabilizar sua colaboração premiada. Nunca teve qualquer apreço pela verdade, nunca produziu qualquer prova de suas alegações mentirosas. Hudson Braga segue acreditando na Justiça”, diz outro trecho da manifestação. A defesa de Sérgio Cabral, por sua vez, afirma que o ex-governador “apresentou todos os relatos, com a indicação de fatos precisos e dados de corroboração’.

O STF ainda vai analisar em plenário a decisão homologada pelo ministro Edson Fachin. A Procuradoria-Geral da República (PGR) contesta o acordo por considerar que não foram apresentados fatos novos. A análise do recurso pelo STF, no plenário virtual, está marcada para começar a partir do próximo dia 21.

Sérgio Cabral está preso desde novembro de 2016, condenado a penas que ultrapassam 340 anos de prisão. Também nesta quinta-feira, pela manhã, em entrevista a programa de rádio, o prefeito Antônio Francisco Neto rechaçou a denúncia, segundo ele feita por Cabral para reduzir suas penas. Em nota, Dias Toffoli também rechaçou a declaração do ex-governador do Rio.

Comentários via Facebook

(O Foco Regional não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

+ Lidas

Em foco

Notícias primeiro na sua mão

Primeiro cadastre seu celular ou email para receber as ultimas notícias.

Curta nossa fan page, receba todas as atualizações - Foco Regional

Tempo Real

18:19 Saúde